segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Eu preciso viajar

 

"Eu preciso sair. Andar. Viajar um pouco.
Necessito fazer uma cura de alma.
Aqui, meu coração, por certo (um pobre louco!)
perderá, por completo a razão e a calma.
Eu preciso viajar. Para onde? Não sei.
Qualquer vento me serve. Eu não tenho destino.
Sou um barco sem vela, que viaja sem lei.
E de longe dirão: - "Quem será o menino
que atirou para o mar, esse barco vazio?
Vai quebrar. Vai partir. Não tem leme, nem vela,
e as águas do mar, não são águas do rio..."

Ninguém sabe o que diz. Todos erram, pensando.
O meu barco está cheio, pesado e sombrio,
pois é meu coração que ele vai carregando.
As tristezas que leva! Não quero pensar.
São segredos que guardo, que escondo comigo:
Os fantasmas que eu amo e desejo matar.
Qualquer porto que encontre será meu abrigo.
Qualquer vento me serve. Eu preciso é viajar"!

                                                      (Lila Ripoll)

Um comentário:

Kiro Menezes disse...

Eu viajo nas águas desses versos magnanimos com os quais vem presentear!!!